Exportações do Ceará crescem 58,7% em abril de 2018 e setor de frutas volta a ser destaque na pauta

21 de maio de 2018 - 13:02

Em abril de 2018, as exportações cearenses somaram US$ 150 milhões, registrando queda de 1,4 por cento sobre março do mesmo ano, apresentando o menor valor do ano. No entanto, com relação a abril de 2017, o resultado significa crescimento de 58,7 por cento. Já o acumulado de janeiro a abril deste ano totaliza um valor de US$ 639 milhões, elevação de 3,25 por cento quando comparado a igual período de 2017. As exportações do Estado nos quatro primeiros meses representaram 0,85 por cento do total da pauta nacional. A participação cearense nas exportações nordestinas ocupa o quarto lugar, atrás da Bahia, Maranhão e Pernambuco. As exportações de frutas voltaram a ganhar destaque na pauta do Ceará. 
Já as importações de abril de 2018 alcançaram o valor de US$ 185 milhões, ou seja, queda de 12,7 por cento quando comparado com a soma das importações do mês imediatamente anterior, ficando abaixo da média ao longo do ano, sendo também o menor valor importado do ano. Comparativamente a abril de 2017, o crescimento é da ordem de 10,2 por cento. As importações cearenses alcançaram US$ 797,4 milhões no acumulado de janeiro a abril, representando aumento de 6,34 por cento em relação ao mesmo período de 2017, quando o valor atingiu US$ 749,8 milhões. Os dados estão no Enforque Econômico (nº 186) – Comércio Exterior Cearense – Abril de 2018, que acaba de ser publicado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece).

Elaborado por Alexsandre Lira Cavalcante, analista de Políticas Públicas, e Ana Cristina Lima Maia, assessora Técnica, contando com a colaboração da estagiária Lilian de Sousa Pereira, todos do Ipece, o trabalho também mostra que o saldo da balança comercial cearense no mês de abril apresentou saldo negativo de US$ 35 milhões, sendo o segundo menor déficit do ano. A corrente de comércio exterior cearense foi de US$ 335,1 milhões, com crescimento de 27,7 por cento em comparação com abril de 2017. No acumulado de janeiro a abril de 2018, a balança comercial do estado do Ceará registrou déficit de US$ 158,4 milhões, valor maior do que o verificado no mesmo período do ano passado (US$ 130,9 milhões). Com o movimento das exportações e importações, a corrente de comércio do Ceará, no acumulado de janeiro a abril de 2018, alcançou o valor de US$ 1,4 bilhão, com aumento de 4,9 por cento em relação ao mesmo período de 2017.

PAUTA

Nos primeiros quatro meses de 2018, os Produtos Metalúrgicos foram os mais exportados pelo Ceará, seguindo o padrão estabelecido em 2017. O setor metalúrgico exportou 337,1 milhões, 52,7 por cento da pauta exportadora cearense, registrando crescimento de 6,35 por cento, relativamente ao acumulado de janeiro a abril de 2017.  Mas foi o setor de frutas que apresentou a maior elevação nas exportações (604,3 por cento). Em 2018, o Estado exportou US$ 27,6 milhões, valor sete vezes maior ao exportado em 2017 (US$ 3,9 milhões). Esse ótimo desempenho foi influenciado, principalmente, pela grande quantidade de melão ao longo do ano. Calçados e suas partes aparecem em segundo lugar no ranking de produtos mais exportados no primeiro quadrimestre do ano de 2018, participando com 14,7 por cento (US$ 94 milhões) das exportações cearenses. Comparado ao mesmo período de 2017, houve um incremento ínfimo nas exportações desse setor de 0,9 por cento.

Castanha de caju foi o terceiro produto mais exportado, gerando uma receita de US$ 35,6 milhões, representando 5,5 por cento da pauta cearense. Na comparação com o acumulado de janeiro a abril de 2017, houve um crescimento de 18,2 por cento. Produtos da indústria de alimentos e bebidas ocupa o quarto lugar da pauta exportadora, com receita de US$ 32,3 milhões (5 por cento). Em comparação mesmo período de 2017, o crescimento observado foi de 5,3 por cento. Dos principais produtos exportados pelo Ceará, apresentaram queda os seguintes setores: Combustíveis minerais (-72,8 por cento); Couros e Peles (-40,5 por cento); e Ceras vegetais (-7,8 por cento). Os dez principais setores e produtos exportados responderam por 93,6 por cento de tudo o que foi vendido

Já a pauta de importação cearense, no acumulado de janeiro a abril de 2018, foi liderada pelo segmento de Combustíveis minerais, com o montante de US$ 366 milhões. Esse valor representou 45,9 por cento da pauta cearense, significando um crescimento de 13,8 por cento, relativamente ao mesmo período de 2017. Os produtos em destaque dentro desse grupo foram: Hulha betuminosa, não aglomerada e Gás natural liquefeito. Em seguida aparecem os Produtos da Indústria Química com 10,3 por cento da pauta importadora do Ceará, com crescimento significativo de 51,7 por cento em comparação ao mesmo período, puxado principalmente pelo aumento das importações de produtos para cabelo e fórmulas Dextrina e outros amidos e féculas modificadas. A importação de Cereais foi de US$ 59,8 milhões, respondendo por 7,5 por cento do total importado, com destaque para trigo e milho. O Ceará importou a quantia de US$ 54,5 milhões do grupo Reatores nucleares, caldeiras, máquinas e aparelhos mecânicos nos quatro primeiros meses de 2018, expressando uma participação de 6,8 por cento na pauta importadora. Em quinta colocação estão Produtos metalúrgicos, com valor de US$ 43 milhões.

Clique aqui para acessar o Enfoque Econômico Nº 186 – Comércio Exterior Cearense – Abril de 2018.

Assessoria de Comunicação do Ipece
(85) 3101.3509