Termômetro do Mercado de Trabalho

27 de novembro de 2017 - 18:49

Mercado de Trabalho e a PNAD Contínua

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) desde a década de 1960 faz uso das pesquisas domiciliares para investigação das características socioeconômicas e indicadores da evolução da Força de Trabalho do país.

Nesse contexto, a PNAD Contínua integra parte do Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares (SIPD), um modelo de produção de pesquisas amostrais domiciliares que visa executar e analisar a disseminação dos resultados de diversas pesquisas de forma coordenada. É importante ressaltar que a PNAD Contínua atende as recomendações metodológicas e conceituais da Comissão de Estatísticas das Nações Unidas (UNSC) e da Organização Internacional do trabalho (OIT) de forma a atender estatísticas de âmbito conjuntural relativo à Força de Trabalho para o país e as unidades federativas.

A amostra da PNAD Contínua é constituída por pessoas moradoras em domicílios particulares permanentes de vinte Regiões Metropolitanas (RM), a Região Integrada de Desenvolvimento (RIDE) da Grande Teresina, cinco capitais e o Distrito Federal. O tamanho da amostra é de, aproximadamente, 211.344 domicílios.

Com início em 2012, em substituição a Pesquisa Mensal do Emprego (PME) e a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), a PNAD Contínua amplia os resultados das duas pesquisas na medida em que abrange todo o território nacional e disponibiliza informações periódicas no que tange às estatísticas do mercado de trabalho.

Adicionalmente, a pesquisa visa produzir indicadores para acompanhar as flutuações trimestrais e a evolução, a médio e longo prazo, da Força de Trabalho além de outras informações necessárias para o estudo e desenvolvimento socioeconômico do país e unidades da federação.

Publicações disponíveis:

Termômetro do Mercado de Trabalho – 3º Trimestre 2017 – edição nº 01
Termômetro do Mercado de Trabalho – 4º Trimestre 2017 – edição nº 02