IPCA na RMF fecha com alta de 0,16% em setembro e acumulado nos últimos doze meses é de 2,62%

18 de outubro de 2017 - 16:00

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) fechou, em setembro, com alta de 0,16 por cento em relação a agosto, quando foi registrado -0,19 por cento. Com relação a setembro do ano passado (0,43 por cento), no entanto, o índice é menor. A contínua desaceleração dos preços levou a inflação acumulada dos últimos doze meses na RMF a registrar 2,62 por cento. O IPCA nacional ficou em 0,16 por cento, menor que os 0,19 por cento de agosto e acima do registrado em setembro de 2016, quando o resultado foi de uma alta de 0,08 por cento. O acumulado do Índice no Brasil – últimos doze meses – segue abaixo do limite inferior do teto da meta de 4,5 por cento estabelecido pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), ao registrar 2,54 por cento.

Dos nove Grupos do IPCA, a Habitação foi o que registrou, na RMF, maior aceleração, de  0,75 por cento, pressionado, mais uma vez, pelos Combustíveis Domésticos,  com variação de 2,01 por cento. A Taxa de Água e Esgoto, como destaca o IBGE, sofreu variação de 0,78 por cento, a partir de 23 setembro, contribuindo para pressionar o referido grupo na região. Destaca-se que essa é a quinta queda consecutiva do Grupo de Alimentos, puxada pelos Alimentos para Consumo em Casa, que nesse mês sofreu recuo de 1,04 por cento. Os dados estão no Relatório de Inflação (nº 22 – Setembro de 2017), de autoria de Daniel Suliano,  analista de Políticas Públicas, e Matheus dos Santos Carvalho, já disponibilizado na página do IPECE.

Neste mês de setembro, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) registrou mais uma vez queda, mas menos intensa, de 0,04 por cento na RMF. No nacional, houve também outra queda, dessa vez de 0,02 por cento. A contínua queda do INPC ao longo dos últimos meses tem permitido que a inflação acumulada nos últimos doze meses da RMF atingisse apenas 2,44 por cento. Em setembro de 2016, esse mesmo acumulado registrava 11,24 por cento. No Brasil, o acumulado dos últimos doze meses está ainda mais baixo, com 1,63 por cento em setembro de 2017. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) se refere às famílias com rendimento monetário de um a cinco salários mínimos. É calculado também para dez regiões metropolitanas, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande e Brasília, que são as mesmas áreas geográficas que abrange o IPCA.

Clique aqui e acesse o Relatório de Inflação – Setembro 2017 – edição nº 21.

Assessoria de Comunicação do Ipece
(85) 3101.3509