Ceará é o 12º no ranking nacional de receita bruta de revenda de mercadorias, constata Ipece

14 de setembro de 2017 - 13:12

A receita bruta de revenda de mercadorias do estado do Ceará registrou o valor de R$ 82,0 bilhões, ocupando a 12ª posição no ranking nacional em relação à receita bruta de revenda de mercadorias no país em 2015. O Estado apresentou leve ganho de participação, passando de 2,3 por cento em 2012 para 2,4 por cento em 2015. Dentro da região Nordeste também é possível observar relativa expansão na participação no total da receita bruta de revenda de 15,5 por cento para 15,6 nos últimos quatro anos. A informação está no Ipece/Informe 119 – setembro de 2017 – publicado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), que é vinculado à Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag) do Estado do Ceará.

No que diz respeito ao total de pessoas ocupadas em empresas comerciais, o  Ceará computou um contingente de 302.974 empregados em 2015, superior em 0,14 ponto percentual na comparação com 2012,  que havia registrado um total de 281.632 pessoas ocupadas. Isso representou um aumento de participação de 2,8 por cento em 2012 para 2,9 por cento em 2015 do total de pessoas ocupadas nas empresas comerciais brasileiras. No Nordeste, esta participação também foi crescente, passando de 16,4 por cento em 2012 para 16,9 por cento em 2015, segundo informa Alexsandre Lira Cavalcante, analista de Políticas Públicas do Ipece, um dos autores do trabalho.

Com relação à massa salarial paga no país em empresas comerciais, o Ceará apresentou a décima maior, com um montante de R$ 4,4 bilhões e uma participação de 2,1 por cento do total do país em 2015, tendo registrado leve crescimento de participação (0,02 pontos percentuais). Dentro do Nordeste também registrou ganho de participação, passando de 15,7 por cento em 2012 para 15,9 por cento em 2015. Em 2012 – frisa – o Ceará detinha o 8º maior número de unidades comerciais do país. Em 2015, esse número caiu e o Estado passou a ocupar a 9ª colocação, com 49.710 unidades e uma participação de 2,9 por cento do total nacional. Vale destacar que a redução no número de unidades comerciais entre os anos de 2012 (65.984 unidades) e 2015 (49.710 unidades) resultou na maior perda de participação dentre todos os estados brasileiros.

O Ipece Informe 119 realiza uma análise detalhada da estrutura produtiva do comércio brasileiro, regional e cearense no período de 2012 a 2015 com base nos dados da Pesquisa Anual do Comércio (PAC) divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pela análise dos resultados da Pesquisa Anual do Comércio, a região Nordeste apresentou redução no número de unidades locais com receita de revenda entre os anos de 2012 e 2015. Isso resultou em perda de participação nacional. O Ceará apresentou a maior perda de participação no total de empresas comerciais nacionais.

Clique aqui e acesse o IPECE Informe Nº 119 – Análise da Estrutura Produtiva do Comércio Cearense – 2012 a 2015.


Assessoria de Comunicação do Ipece

(85) 3101.3509