Comércio varejista cearense cresce pelo terceiro mês consecutivo e gera primeira criação de emprego formal em junho deste ano

17 de agosto de 2017 - 10:08

Em junho deste ano, o comércio varejista comum cearense apresentou o terceiro crescimento consecutivo dentro do ano com variação de 2,2 por cento, mas em comparação a igual mês de 2016 foi registrada uma leve queda de 0,3 por cento.  Também em junho de 2017 ocorreu a primeira criação de empregos com carteira assinada no varejo cearense, num total de 200 vagas. Esse resultado afetou diretamente o ritmo de demissões no mercado de trabalho no comércio, que vem apresentando um comportamento de desaceleração nas demissões e, inclusive, contratação.

Apesar do crescimento nas vendas nos últimos três meses, o resultado não foi suficiente para reverter o sinal de queda no acumulado do ano até junho de 2017 (-4,8 por cento), comparada a igual período do ano anterior. Os dados, tendo como base a Pesquisa Mensal do Comércio, divulgada pelo IBGE, estão no Enfoque Econômico nº 153 – Desempenho das Vendas do Varejo Cearense em Junho de 2017 do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), órgão vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) do Governo do Estado do Ceará. O trabalho completo pode ser acessado no www.ipece.ce.gov.br

De acordo com Alexsandre Lira Cavalcante, analista de Políticas Públicas do Instituto responsável pelo trabalho, no acumulado de doze meses ocorreu um decréscimo maior: de 5,8 por cento, influenciado pelos resultados negativos do final do ano anterior, revelando um ritmo de queda menos intenso.  Já quanto ao saldo de empregos, nos seis primeiros meses deste ano foi registrado um fechamento de 6.614 postos de trabalho com carteira assinada, mas abaixo do verificado em igual período de 2016 (-9.811 vagas).

O estoque de empregos formais no varejo cearense de junho de 2017, corrigido pelo estoque de empregos formais da RAIS (2015), registrou crescimento em junho relativamente a maio de 0,08 por cento. Na comparação com dezembro de 2016 foi registrada uma queda de 2,48 por cento no total de empregos no comércio cearense e, na comparação com o acumulado de doze meses, até junho de 2017, involução de 1,34 por cento, revelando que o ritmo de fechamento de postos de trabalho no comércio está desacelerando.

Clique aqui e acesse o Enfoque Econômico – Nº 153 – Desempenho das Vendas do Varejo Cearense em Junho de 2017.

Assessoria de Comunicação do Ipece
(85) 3101.3509