Governo e Banco Mundial avaliam investimentos no Ceará

28 de junho de 2017 - 15:06

Em encontro realizado na terça-feira (27 de junho), na Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), o governo estadual, por meio da Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag) e do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica (Ipece) discutiram com representantes do Banco Mundial estratégias para tentar acelerar o desenvolvimento regional, com ênfase em questões como boa-governança pública e investimentos em áreas como recursos hídricos, educação superior e tecnológica e, também, em segurança pública.

Segundo avaliação do Diretor Geral do Ipece, Flavio Ataliba, “essa reunião com representantes do Banco Mundial é uma reflexão sobre o que pretendemos desenhar para o estado do Ceará em termos de desenvolvimento para os próximos vinte ou trinta anos ” Ataliba ponderou ainda que “contar com incentivo do Banco Mundial, que nos traz experiências bem sucedidas no mundo inteiro, é um indicativo de que estamos no caminho certo para a construção de um modelo socioeconômico que busca elevar nossa renda e criar mais e melhores oportunidades para os cearenses”.

Essas discussões, segundo o secretário do Planejamento e Gestão, Francisco de Queiroz Maia Júnior, servem para pautar um possível empréstimo de U$ 200 milhões do Banco Mundial ao Estado do Ceará. “Esta é a terceira etapa de um processo de discussão e em relação ao qual temos a expectativa que seja consolidado no início de 2018. Estamos dizendo ao Banco Mundial quais são nossas prioridades e também escutado ponderações da instituição que tendem a facilitar a liberação do crédito pretendido”.

Entre as ponderações, estão questões como boa gestão fiscal; o estabelecimento de prioridades e metas; e o monitoramento de resultados. “A boa governança é ponto de partida para que uma proposta seja considerada no Banco Mundial. O Ceará vem conseguindo, há décadas, conciliar uma gestão fiscal equilibrada com um bom volume de investimentos em áreas importantes. E Isso tende a ser considerado nas nossas análises”, observou Claúdio Frischtak, consultor do Banco Mundial.

Essa reunião com representantes do Banco Mundial é uma reflexão sobre o que pretendemos desenhar para o estado do Ceará em termos de desenvolvimento para os próximos vinte ou trinta anos”, explicou o diretor do Ipece, Flávio Ataliba. “Contar com incentivo do Banco Mundial, que nos traz experiências bem sucedidas no mundo inteiro, é um indicativo de que estamos no caminho certo para a construção de um modelo socioeconômico que busca elevar nossa renda e criar mais e melhores oportunidades para os cearenses”.