Ceará apresenta a maior redução na mortalidade em crianças menores de um ano de idade do Brasil

30 de maio de 2017 - 16:50

IPECE Informe Nº 110 – A Dinâmica da Mortalidade Infantil nos Estados Brasileiros, 2000-2013

Nesta Edição

O Estudo do Ipece utilizou dados do Ministério da Saúde no período de 2000 a 2013

O Informe 110, do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará – Ipece, buscou apresentar e comparar a evolução da mortalidade infantil nos estados brasileiros entre os anos de 2000 a 2013. As informações são do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC) e do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), que estão disponíveis no último Indicadores e Dados Básicos (IDB), lançado pelo Ministério da Saúde do Brasil.

Os dados do Ministério da Saúde mostraram que o Ceará foi o Estado brasileiro que apresentou a maior taxa de redução (aproximadamente 62%) da mortalidade em crianças menores de um ano de idade entre todas as unidades federativas no período de 2000 a 2013. No ano de 2013, o Ceará (14.1) atingiu uma taxa de mortalidade infantil inferior a da região Nordeste (16.6) e a do Brasil (14.4).

Apesar do expressivo destaque do Ceará na redução da mortalidade infantil nas últimas décadas, os dados mostram uma maior predominância da mortalidade infantil neonatal precoce (nos primeiros 7 dias de vida). De cada 14 crianças que morreram até o 1º ano de vida em 2013, aproximadamente, 8 foram registradas já na primeira semana de vida no estado do Ceará.

Desse modo, destaca-se a relevância do período gestacional na formação e posterior desenvolvimento da criança. O que reforça a necessidade de ampliação das políticas públicas direcionadas tanto a atenção primária das gestantes e recém-nascidos, dado a ampliação recente de exposição às doenças arboviroses e infecto-contagiosas (Dengue, Zica e Chikungunya) no período de gestação.

Por fim, a análise sugere ainda a importância das variáveis de rendimento domiciliar per capita, saneamento básico, alfabetização feminina e acesso à água potável encanada, como possíveis determinantes da redução da mortalidade infantil nos estados brasileiros.

Acesse: A Dinâmica da Mortalidade Infantil nos Estados Brasileiros, 2000-2013

 

30.05.2017

Assessoria de Comunicação da Seplag
Luiz Pedro Neto e Joanna Cruz – (85) 3101.4495

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado
Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br
(85) 3466.4898