Secretarias e Órgãos

Telefones úteis

Redes Sociais

voltar imprimir
Aumentar texto Diminuir texto
Novo trabalho do Ipece prevê recuperação econômica mais intensa em 2018

O Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), órgão vinculado à Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag) do Governo do Estado, acaba de publicar novo número do Farol da Economia Cearense (nº 07/2017). O documento, ao traçar Análises e Perspectivas, afirma que as expectativas para 2018 indicam, em geral, que a recuperação econômica ocorrerá de forma mais intensa, com um maior crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) e da produção industrial que em 2017. O trabalho, com um total de 44 páginas, disponibiliza dados, informações e análises sucintas para que os tomadores de decisão e demais partes interessadas tenham elementos para avaliar prospectivamente os rumos das economias do Brasil e do Ceará.

O Ceará, de acordo com o estudo, deve apresentar um ritmo de crescimento superior ao brasileiro e que, numa visão geral, haverá certa estabilidade (em níveis desejáveis) de variáveis chaves, como juros, inflação e câmbio. Há, também, uma previsão de elevação dos níveis de investimento, muito embora alerte para o crescimento da dívida pública. Os dados recentes do PIB demonstram que está ocorrendo uma recuperação das economias do Brasil e do Ceará em relação ao forte quadro recessivo de 2015 e 2016, mas chama a atenção para algumas variáveis importantes nos últimos meses, que conferem certa estabilidade ao cenário econômico atual, destacando-se: queda da taxa básica de juros; redução da taxa de inflação e a relativa estabilidade da taxa de câmbio e a boa performance do comércio exterior.

A nova edição do Farol ressalta que existem atualmente fatores que dificultam uma recuperação mais acelerada da economia e contribuem para o aumento das incertezas, como o baixo nível dos investimentos e a existência de capacidade ociosa; o descontrole fiscal, principalmente no âmbito federal; o crescimento significativo do endividamento público e as incertezas decorrentes da crise política e das reformas ora em discussão. O Ceará, em termos relativos, apresenta um melhor controle das contas públicas.

O diretor de Estudos de Gestão Pública do Ipece, Cláudio André Gondim Nogueira, um dos autores do trabalho, explica que o Farol está dividido em cinco partes. A primeira apresenta o Cenário Internacional; a segunda trata do Cenário Macroeconômico (situação atual), observando alguns aspectos econômicos, como Produto Interno Bruto (PIB), Inflação, Taxas de Juros, Consumo das Famílias,  Balança Comercial e Fatores de Incerteza. Já a terceira trata do Cenário Macroeconômico – Expectativas (com ênfase em 2018). A quarta faz uma Análise Setorial (Indústria, Comércio e Serviços) e a quinta traça uma síntese das análises e perspectivas.

Também são autores do Farol da Economia Cearense os analistas de Políticas Públicas do Ipece: Paulo Araújo Pontes, Nicolino Trompieri Neto, Alexsandre Lira e Daniel Suliano, e os Assessores Técnicos: Aprígio Botelho Lócio e Ana Cristina Lima Maia. O trabalho contou ainda com a colaboração de Tiago Emanuel Gomes dos Santos.

Clique aqui e acesse o Farol da Economia Cearense - Nº 07 / 2017


Assessoria de Comunicação do Ipece
(85) 3101.3509

 

Calendário

Janeiro 2018
D 2a 3a 4a 5a 6a S
31 1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31 1 2 3