Secretarias e Órgãos

Telefones úteis

Redes Sociais

voltar imprimir
Aumentar texto Diminuir texto
Exportações cearenses somam US$ 1,87 bi de janeiro a novembro de 2017, crescem 64,9% e atingem volume recorde do período

As exportações do Ceará somaram, de janeiro a novembro de 2017, um valor recorde para o período: US$ 1,87 bilhão, o que representa crescimento da ordem de 64,9 por cento em relação aos 11 meses de 2016, quando o total foi de US$ 1,13 bilhão. Com esse desempenho aumentou para 0,93 por cento a participação das exportações cearenses no volume nacional, superando, portanto, a registrada em 2016: 0,67 por cento, o que levou o Ceará ao 14º lugar dentre os estados brasileiros no período. A participação do Ceará nas exportações nordestinas também cresceu: 12,17 por cento do total exportado pela Região em 2017, contra 9,7 por cento no acumulado de janeiro a novembro de 2016, o que levou o Estado a ser o terceiro maior exportador do Nordeste.

Já as importações, no mesmo período, atingiram o montante de US$ 2,1 bilhões, representando queda de 36,6 por cento sobre o mesmo período do ano anterior, que foi de US$ 3,3 bilhões. As importações alcançaram o menor nível desde 2010, quando foi importado o valor de US$ 1,9 bilhão. A balança comercial cearense continuou deficitária no acumulado de janeiro a novembro de 2017, com um saldo negativo de US$ 237 milhões. Na comparação com os primeiros onze meses de 2016 houve redução de 89,2 por cento no déficit da balança comercial devido à queda das importações.

De acordo com Alexsandre Lira Cavalcante, analista de Políticas Públicas, um dos autores do trabalho, juntamente com Lilian de Sousa Pereira (Estagiária) e Ana Cristina Lima Maia, assessora Técnica, todos do Ipece, a balança comercial cearense apresenta saldo deficitário em todos os anos observados, mas em 2017 apresentou o menor déficit desde 2009, quando o saldo deficitário foi de US$ 153 milhões. A corrente de comércio exterior cearense (soma dos valores exportados e importados) foi de US$ 3,9 bilhões, tendo redução de 10,8 por cento em relação ao acumulado de janeiro a novembro de 2016. O documento revela que, na análise mensal, as vendas externas do Ceará, em novembro de 2017somaram o valor de US$ 217,2 milhões, apresentando o maior valor observado no ano e registrando um crescimento de 15,8 por cento em relação ao mês imediatamente anterior. Quando comparado a novembro de 2016, o incremento observado foi de 32,2 por cento.

Por sua vez, as importações de novembro de 2017 alcançaram o valor de US$ 166,2 milhões, queda de 15,9 por cento em relação ao mês anterior, ficando abaixo da média do valor importado ao longo do ano. Quando comparadas ao mesmo mês de 2016, observa-se um crescimento de 3,63 por cento. Em consequência dos valores das exportações e importações, o saldo da balança comercial cearense foi positivo em US$ 50,9 milhões em novembro de 2017, maior valor observado em 2017 e o terceiro do ano. A corrente de comércio exterior cearense foi de US$ 383,4 milhões em novembro de 2017, a quinta maior do ano. Esse valor representou um crescimento de 18,9 por cento comparado a novembro do ano passado.

tabela 01

PRODUTOS

No acumulado de janeiro a novembro de 2017, o setor de Produtos Metalúrgicos continuou liderando as exportações cearenses, com 51 por cento do total exportado (US$ 955,5 milhões), enquanto que, em 2016, esse setor participava com apenas 12,8 por cento da pauta. Registrou-se crescimento de 553,5 por cento em relação aos primeiros onze meses de 2016. As exportações de Calçados e suas partes ocupam o segundo lugar, respondendo por 14,35 por cento da pauta cearense, com a quantia de US$ 268,44 milhões (crescimento de 8,92 por cento em relação ao mesmo período de 2016). Couros e Peles ficaram em terceiro lugar, gerando uma receita de aproximadamente US$ 114,4 milhões com uma participação de 6,11 por cento no total da pauta exportadora no acumulado de janeiro a novembro de 2017.

Dos principais produtos da pauta no acumulado de janeiro a novembro de 2017, os produtos que apresentaram crescimento, comparado ao mesmo período de 2016, foram: Produtos metalúrgicos (553,57 por cento); Combustíveis minerais, óleos minerais; matérias betuminosas (26,54 por cento), Lagosta (9,91 por cento ), Calçados e suas partes (8,92 por cento ), Produtos da Indústria de Alimentos e Bebidas (4,92 por cento ) e Ceras Vegetais (3,51 por cento ). Enquanto que Frutas (-43,26 por cento), Têxteis (-25,11 por cento ), Couros e Peles (-15,87 por cento ) e Castanha de caju, fresca ou seca, sem casca (-11,87 por cento ) registraram queda. Os dez principais produtos exportados responderam por 93,24 por cento  de tudo o que foi vendido pelo Ceará nos primeiros onze meses de 2017.

Acesse aqui o Enfoque Econômico Nº 171 - Novembro/2017


Assessoria de Comunicação do Ipece
(85) 3101.3509
 

Calendário

Junho 2018
D 2a 3a 4a 5a 6a S
27 28 29 30 31 1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30